Baratos Afins

Baratos Afins a Pioneira dos Independentes

Skip to Main Content »

Bem vindo a loja virtual da Baratos Afins!
Nossa loja esta em constante atualização. Estamos Inventariando e cadastrando todos os produtos da nossa loja. Caso não encontre o produto em nossa loja virtual entre em contato (11) 3223-3629

Your shopping cart is empty

TAMBOLELE - TAMBOLELE CAMINHANDO SÓ 'CD' ''BRA''

Seja o primeiro a avaliar este produto

Disponibilidade: Em estoque

R$26,00

Descrição rápida

01 - Caminhando Só - Sérgio Pererê
02 - Fogo de Boi - Sérgio Pererê
03 - Onde Qué - Sérgio Pererê
04 - Panela Velha – D.P. Adaptação Geovanne Sassá
05 - Aiero - Tambolelê
06 - Bicho Tamanduá – D.P. Adaptação Geovanne Sassá
07 - Costura da Vida - Sérgio Pererê
08 - Sino de Ouro - Sérgio Pererê
09 - Curi-Curi Tum-Tum - Sérgio Pererê
10 - Batuca – D.P. Adaptação Sérgio Pererê
11 - Pato – D.P. Adaptação Tambolelê
12 - Carijós com Paraná – Tambolelê

TAMBOLELE - TAMBOLELE      CAMINHANDO SÓ     'CD'      ''BRA''

Duplo clique na imagem para vê-la ampliada

Reduzir
Aumentar

Mais visualizações

Detalhes

A inspiração vem da cultura afro-mineira; a sonoridade, da poesia sagrada e contemporânea dos tambores. Assim, o Grupo Tambolelê, formado por Santonne Lobato, Geovane Sassá e Sérgio Pererê, percorre o Brasil e vem conquistando espaço em outros países, com apresentações que remetem à herança negra das nossas raízes culturais. Com ritmos fortes e vibrantes, que vão do Moçambique ao Congo, passando pelo Boi de Reis, Zé Pereira, Cacuriá, Batuque, Lundu, Serra Abaixo e Congo Quebrado, a arte da música mineira é levada aos quatro cantos do mundo. Tendo como foco central a emoção, o Tambolelê sempre leva ao palco, além de muito entusiasmo, a magia dos elementos das congadas e uma mistura de ritmos ancestrais com pitadas de sons contemporâneos, como blues, rock'n roll, funk e black music. Nos shows, os tambores e as vozes do trio recebem a companhia do baixo de Luizinho Horta . O que se ouve é um som novo, que passeia com competência entre claras inspirações de raízes, do pop e, ao mesmo tempo, da música erudita. Paixão, cores e cheiros fazem parte de um show em que o público pode curtir uma boa música, dançar ao som dos batuques, apreciar um espetáculo cênico-musical e se conectar com o universo da cultura afro-mineira. Nas apresentações, o trio conta com diversos tipos de instrumentos, como caixa de folia e de bateria; pandeiro; bumbo; tacos; atabaque, pandeirão e os inusitados djembés; bombona; tama; balafon; patangome; xequerê; caxixi; kalimba e cowbels. E para o Tambolelê vale tudo, até improvisar com panelas e bandeja de inox; xícaras de café; pilão de madeira; pratos e garfos; cilindros de ferro; moringa; jornal picado; latas e até unhas de capivara. O resultado do esforço pela divulgação da arte musical de Minas Gerais não poderia ser outro: dois CDs de sucesso. O primeiro que levou o nome do grupo, Tambolelê, trouxe as músicas ‘Costura da Vida’ e ‘Ondequé’, que já são bastante conhecidas do público. Já o ‘Kianda’, mescla a sonoridade de raiz africana ao som gostoso da música pós-contemporânea. O terceiro disco, que ainda não tem título, está previsto para ser lançado este ano, com mais riqueza no quesito musicalidade. Sax, trombone, sanfona, rabeca, unidos a um repertório que inclui canções inéditas e novas releituras de músicas já gravadas, formam o universo mágico do novo trabalho. O primeiro cd – “Tambolelê”, com direção de Ivan Corrêa foi lançado em 2001, sendo um apanhado do trabalho apresentado pelo grupo durante os shows de enorme sucesso nos palcos de Minas. Sob o comando de Gabriel Villela, o Tambolelê apresentou em 2002, o show “Kianda”, sucesso de crítica e público. “Kianda” é também o nome dado ao segundo cd do grupo, que conta com participações mais que especiais de Chico César e Maurício Tizumba e foi lançado em junho de 2004. Origem do nome Tambolelê, Tambolelê, Tambolelê... A sonoridade sempre foi uma preocupação do trio ao escolher o nome do grupo. Em princípio, a idéia era fazer referência a um instrumento chamado Tabuletê. Porém o radical ‘tabu’ não agradava. Decidiram usar a palavra tambor, pelo caráter lúdico do instrumento. ‘Lelê’ foi um complemento que fechou bem a sonoridade da palavra. Por fim, o grupo foi batizado como Tambolelê - que também é o nome de um instrumento de corda japonês.

Informações adicionais

Artista TAMBOLELE
Formato da Mídia CD
Formato CD
Gravadora INDEPENDENTE
Origem BRASIL
Nº de Faixas 12
Condição Novo

Tags do produto

Use espaços para separar tags. Use aspas simples (') para frases.